Visita de estudo ao Centro de Ciência

1

Curso Mecânica Naval (Grupo 1)

 No dia 29 de maio, os alunos do Curso Mecânica Naval, da Escola Profissional da Horta, realizaram uma visita de estudo ao Centro de Ciência da Escola Secundária Manuel Arriaga. Previamente agendada, a iniciativa teve como objetivo demonstrar conteúdos previamente abordados nas aulas, em especial os conteúdos relacionados com a eletricidade (Lei de Faraday, resistência elétrica, funcionamento de pilhas), o campo magnético e o funcionamento de um motor térmico.

2

Curso Mecânica Naval (grupo 2)

Assim, durante cerca de uma hora e meia, os grupos, acompanhados pelo professor responsável, Engº Luis Vilaça, ouviram os esclarecimentos e informações prestadas com muito interesse.

No final, professor e alunos fizeram um balanço positivo da visita de estudo.

Agora é mais fácil observar a Estação Espacial Internacional

International Space Station (ISS)

International Space Station (ISS)

A Estação Espacial Internacional (ISS) pode ser perfeitamente observável do terraço da nossa casa. O terceiro objeto mais brilhante no céu depois do sol e da lua é fácil de ver se soubermos exatamente onde se encontra… com uma pequena ajuda da NASA.

A agência espacial norte-americana desenvolveu um serviço de alerta designado “Spot the Station“, que dá sinal algumas horas antes da estação espacial passar sobre a nossa casa. Os alertas chegam através de e-mail ou SMS.

A ISS parece um avião em movimento rápido no céu (27600 Km/h), mas onde só existem seis tripulantes a bordo e está a cerca de 370 Km acima da superfície da Terra. Vê-se melhor em noites claras.

Uma das maiores centrais fotovoltaicas do mundo é portuguesa.

442700_serpa

Central solar fotovoltaica de Amareleja

  Situada na Amareleja, uma freguesia do concelho de Moura, a central encontra-se em funcionamento desde o dia 29/12/2008, e custou 261 milhões de euros.

  Com uma capacidade instalada de 46 megawatts (MW), vai produzir 93 milhões de kilowatts/hora (kWh) por ano, valor que equivale ao consumo de mais de 30 mil famílias, evitando a emissão de 89.383 toneladas anuais de dióxido de carbono (CO2).
A central, que levou 13 meses a construir, ocupa uma área de 250 hectares e é composta por 2.520 seguidores solares, com 262.080 módulos fotovoltaicos.

Combustíveis alternativos

Cada vez mais conscientes do impacte ambiental resultante da utilização dos combustíveis tradicionais, as instituições internacionais e os governos da maioria dos países procuram desenvolver tecnologias que permitam uma utilização massiva dos designados combustíveis alternativos, o hidrogénio, o etanol, o biodiesel e o gás natural.

Automóvel movido a hidrogénio

Automóvel movido a hidrogénio

 O etanol já constitui um exemplo de sucesso na sua utilização em alternativa à gasolina. Nos Estados Unidos é principalmente feito a partir de milho e no Brasil a partir da cana de açúcar. Alguns fabricantes de automóveis vendem motores que conseguem funcionar com gasolina e com Etanol E85, um combustível que é constítuido por 15% de gasolina e 85% de etanol.

 As células de combustível em que pode ser utilizado o hidrogénio não reúnem consenso relativamente à sua eficiência, uma vez que este não é uma fonte de energia primária. Apesar disso, algumas marcas de automóveis já apresentaram protótipos deste tipo.

http://www.fueleconomy.gov/feg/current.shtml

http://www.em10taque.com/help10k/10-combustiveis-alternativos-em-uso-hoje/

http://www.ipv.pt/millenium/Millenium29/21.pdf

Telescópio Hubble sustituído por James Webb

121
Imagem virtual do telescópio James Webb

 O telescópio espacial Hubble será substituído por um novo, chamado James Webb. A sua construção só estará concluída no final de 2018, ano em que será lançado para o espaço posicionando-se a um milhão de quilómetros da Terra.

Estima-se que o telescópio James Webb seja cem vezes mais poderoso que o Hubble, permitindo obter mais conhecimentos acerca do desenvolvimento inicial do universo.

Será constituído por um espelho de 21 metros de altura e 18 espelhos menores, hexagonais.

Galileo (Sistema europeu de posicionamento global)

Um dos satélites do Galileo

Um dos satélites do sistema Galileo

 Concebido desde o início como um projeto civil, em oposição ao GPS americano, ao GLONASS russo e ao Compass chinês que são de origem militar, apresenta várias vantagens, como por exemplo, maior precisão (ainda a ser confirmado em testes reais), maior segurança (possibilidade de transmitir e confirmar pedidos de ajuda em caso emergência) e menos sujeito a problemas técnicos.

Segmento espacial- Constituído por 30 satélites (27 operacionais e 3 suplentes), posicionados em três planos orbitais diferentes, encontram-se a uma altitude de 23.222 km

Segmento de controlo- Será constituído por três estações, duas na Alemanha e a terceira na Itália.

 

Bosão de Higgs vale Prémio Nobel da Física 2013 a François Englert e Peter Higgs

O belga François Englert esquerda) e o britânico Peter Higgs (direita)

O belga François Englert (esquerda) e o britânico Peter Higgs (direita)

O belga François Englert e o britânico Peter Higgs receberam o Prémio Nobel de Física de 2013 pela “descoberta teórica de um mecanismo que contribui para a compreensão da origem da massa das partículas subatómicas”.

Englert, com o físico belga Robert Brout (já falecido), por um lado e Higgs, por outro, propuseram em 1964, ao mesmo tempo e de forma independente, a existência do que ficou conhecido como o bosão de Higgs ou a dita “partícula de Deus”. Quase cinquenta anos depois, a 4 de Julho de 2012, o Centro Europeu de Física de Partículas (CERN) anunciou a confirmação experimental de que o bosão existe. O bosão de Higgs combina duas forças da natureza e mostra que são, de facto, aspectos diferentes de uma mesma força maior, sendo que esta partícula é a responsável pela existência de massa nas partículas elementares. É conhecido como a “partícula de Deus” porque confere ordem e massa ao Universo.